domingo, 2 de maio de 2010

...

Sozinha, sentanda em um quarto escuro e silencioso, ela pensa sobre o que poderia ter feito de diferente.

Rodeado de gente e, ao mesmo tempo, isolado de todos, ele tenta adivinhar o momento em que tudo começou a desandar.

Eles não se conhecem, mas sentem falta um do outro. Se procuram sem saber e quando pensam que se acharam e quebram a cara, percebem que estão cansados.

Ela se sente esquecida, talvez o seu problema seja negar que acredita em contos de fadas, em castelos, em finais felizes.

Ele se sente invisível, talvez o seu problema seja o medo de ser visto por um alguém errado.

Mesmo sem se conhecerem, eles seguem um para um outro, aos poucos...O encontro é inevitável, mas o tempo parece sempre descansado demais, lento demais, como se sentisse uma satisfação doentia em atrapalhar o encontro deles. O mais triste de tudo é que eles não sabiam um do outro e estavam cansados demais...

ps: ah, sexta teve colação de grau. Agora sou bacharel em psicologia, o que não muda muita coisa no fim das contas, o que eu posso fazer é: concurso de nivel superior, dar aulas, fazer mestrado e só! puf! haha mas final do ano termino tudo :)

x* namastê *x

4 comentários:

Persona disse...

Porque não experimenta clinicar?

Bjocas!

P.S.AMO psicologia.

Grasi disse...

Parabéns pela colação:)
um ótimo começo de semana!

Joyce disse...

Parabéns bacharela!
hehehe

Mary disse...

parabéns pela colação! :)

e espero que deixem o cansaço de lado e que aconteça o encontro :P


beijos!